Felipe Luiz de Azevedo Silva

Pesquisa: Ações em nosso entendimento sobre as modalidades: um estudo sobre o uso dos verbos modais em L2.

Resumo: Nesta pesquisa, pretende-se realizar um estudo descritivo sobre os verbos modais e suas modalidades de ação (deôntica) e opinião (epistêmica) na língua inglesa, levando em conta os contextos e as proposições que formam a modalidade mais apropriada para o objetivo do falante. A pesquisa em andamento é baseada na perspectiva gerativista, especialmente na teoria de Princípios e Parâmetros de Chomsky (1981; 1984), levando em conta as questões concernentes à interface sintático-semântica. Como metodologia, uma revisão da literatura relevante ao objeto de estudo têm sido feita para delinear os traços que podem causar a dificuldade de aquisição, além de testes que demonstrem tais características na produção efetiva do aprendiz de inglês. No que se refere à fundamentação teórica, os trabalhos desenvolvidos por A.R Jacobs (1995) que descreve o uso dos modais em âmbitos contextuais; Marianne Celce-Murcia e Larsen-Freeman (1999) que categoriza os modais e suas funções; e Peter Collins (2009) que define o significado dos modais a partir de suas modalidades, serão essenciais para a descrição das funções pertinentes ao contexto dos modais. Como objetivo do mestrado em andamento, propõe-se levantar hipóteses sobre os motivos pelos quais aprendizes brasileiros, quando se trata de níveis proficientes, tendem a utilizar os modais perifrásticos com maior facilidade quando comparado aos nucleares, além de analisar criticamente as razões que podem justificar as escolhas dos modais em contextos concernentes às modalidades deôntica e epistêmica, levando em conta o significado, uso e forma das modalidades dos verbos modais.

 

Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP

Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - EFLCH

(Campus Guarulhos)

Estrada do Caminho Velho, 333

Jardim Nova Cidade 

Guarulhos - SP

CEP: 07252-312